terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Unilafs-janeiro/2011



Palavras da AssessoraEm nossa Família internacional de Schoenstatt fomos ricamente presenteadas por um carisma que nos une, a Original Aliança de Amor selada pelo Pe. José Kentenich e os jovens da geração fundadora de Schoenstatt em 18 de outubro de 1914. Caminhamos rumo ao grande centenário da Aliança em 2014, esta Aliança é a fonte de nossa origem e é o que nos une e nos dá uma missão como Movimento Apostólico, como comunidade da Liga Apostólica Feminina. Este número do UNILAFS chega até você e pelas informações e orientações nos quer irmanar numa única família espiritual, orientada para os valores evangélicos e cristãos.
Neste ultimo triênio (2011-2012-2013) que nos conduzirá ao ano do Centenário da Aliança, em nosso Brasil somos orientadas por um lema que nos une de norte a sul em nossa Pátria: “De Santuário a Santuário - Missionários da Aliança!” Como Família internacional temos um logo que nos acompanha e inspira, com o imperativo:
Tua aliança nossa missão!Que a leitura deste informativo possa nos unir, porque foi para isso que ele nasceu, mas você também está convidada a dar sua contribuição e avaliação à nossa equipe.


Ir. M. Jacinta




Fevereiro - "Eis a Luz para iluminar as nações!”

Dia 02 celebramos a festa da Apresentação de Jesus no Templo também conhecida como festa da Candelária ou Festa da Purificação da Virgem. Esta festa celebra um episódio da vida de Jesus que também é contemplado no quarto mistério gozoso do Santo Rosário. Com a reforma litúrgica do Concílio Vaticano II esta festa tem sido denominada como a festa da "Apresentação do Senhor". Foi a oferta pública e solene de nosso divino Salvador, feita a Deus, no templo de Jerusalém, 40 dias depois de seu nascimento.
Nosso Fundador nos fala sobre a apresentação do Menino Jesus no Templo: “Os homens, na sua maioria, mal percebem o que está acontecendo, nem se dão conta. Para eles, trata-se de um casal simples e humilde, de uma criança como tantas outras. Ainda não possuem o olhar da fé.”
Esta festa também é muito especial para nós da LAFS, pois pela aspiração à conquista da nossa vinculação aos valores cristãos e a busca da pureza de coração em nossa vida, podemos também nos tornar, como Cristo, um sinal de luz.





MARÇO - Dia 9 de março – quarta feira de cinzas - início da Quaresma


“Lembra-te que és pó e ao pó te tornarás!”


A Quarta-Feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental. As cinzas que os cristãos católicos recebem neste dia é um símbolo para reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a passageira, transitória e efêmera fragilidade da vida humana, sujeita à morte. Ela ocorre quarenta dias antes da Páscoa sem contar os domingos (que são incluídos na Quaresma) e quarenta e seis dias antes da Sexta-Feira Santa contando os domingos.



“Tempo de oração, jejum e caridade!”


Neste tempo especial de graças que é a Quaresma, devemos aproveitar ao máximo para fazermos uma renovação espiritual em nossa vida. O Apóstolo São Paulo insistia: "Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!" (2 Cor 5, 20); "Exortamos-vos a que não recebais a graça de Deus em vão. Pois ele diz: 'Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação' (Is 49,8). Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação." (2 Cor 6, 1-2).
Esses quarenta dias devem ser um tempo forte de meditação, oração, jejum e caridade. É tempo para se meditar profundamente a Bíblia, especialmente os Evangelhos, viver um pouco de mortificação (por exemplo, renunciar um doce, carne às sextas-feiras, deixar a bebida, a TV, alguma diversão, etc.) com a intenção de fortalecer o espírito e nos converter. Pode ser algo concreto que renuncio para causar alegria a Jesus. Podemos fazer uma confissão bem feita, o meio mais eficaz para se livrar do pecado. Esse seria o maior presente para Jesus. Não há graça maior do que ser perdoado por Deus, estar livre das misérias da alma e estar em paz com a consciência.
“Nós, homens de hoje, perdemos o sentido para o pecado. Não conhecemos mais seu peso e seu rosto. Jesus nos mostra que peso tem o pecado na balança de Deus. Pois, seu sofrimento nada mais é que a consequência do pecado.”


(Pe. José Kentenich, em 26.03.1964)





Dia 19 celebramos a Festa de São José - O servo fiel e prudente.


José, descendente dos reis de Judá e da estirpe de Davi, era um homem simples, recohido, piedoso, bom e singelo, qualidades concedidas por Deus e por Ele cultivadas naquele que iria se tornar o pai adotivo de Cristo. Ele teve a grande tarefa de proteger e prover, com seu humilde trabalho de carpinteiro, a subsistência do “Filho do Altíssimo” e de sua Mãe, Maria. São José é para nós um exemplo de fé, confiança irrestrita na palavra de Deus e de obediência à sua vontade.
A vida de nosso Fundador, Pe. José Kentenich tem semelhanças com a de São José, na sua fidelidade total à Aliança de Amor firmada com Jesus e Maria e, em Cristo, ao Pai. Santificou-se através da oração, sacrifícios e no trabalho de anunciar ao mundo as glórias de Cristo e de Maria.





Dia 25 celebramos a Anunciação do Senhor


Pai, eis aqui a tua serva!



A festa da Anunciação do Arcanjo Gabriel à Virgem Maria é comemorada desde o Século V, no Oriente e a partir do Século VI, no Ocidente, nove meses antes do Natal. Este fato fez de Maria o primeiro Tabernáculo Vivo do Altíssimo.
A visita do Anjo à Virgem Maria, como disse o santo Padre o Papa, Bento XVI, "marca o início de um novo tempo para o povo de Deus, pois é o cumprimento do Velho Testamento com a abertura do caminho para o Reino de Deus à luz da Boa Nova, para toda a Humanidade". São Gabriel Arcanjo proferiu a oração que está sempre na boca e no coração de todos os fiéis: a Ave Maria (Lc 1,28ª).
Assim como Maria, através de seu SIM, tornou-se o primeiro “Tabernáculo Vivo do Altíssimo”, portadora e anunciadora de Cristo, a Luz do mundo. Nós também, como Liguistas, queremos ser verdadeiros “Tabernáculos Vivos” em nosso ambiente profissional e familiar, difundindo o aroma da presença de Deus.


Lembremos, também, que neste dia 25 celebramos o dia da nossa LIGA APOSTÓLICA FEMININA – LAFS.



Abril: Dia 17 celebramos o Domingo de Ramos – Hosana ao Filho de Davi!


O Domingo de Ramos é a festa litúrgica que celebra a entrada de Jesus Cristo na cidade de Jerusalém. É também a abertura da Semana Santa. A procissão do Domingo de Ramos surgiu depois que um grupo de cristãos da Etéria fez uma peregrinação a Jerusalém e, ao retornar, procedeu na sua região da mesma forma que havia feito nos lugares santos, lembrando os momentos da Semana Santa.

No Domingo de Ramos, ao adentramos as portas de nossa igreja, exultantes, com os ramos de oliveira e as palmas, poderemos dar um duplo testemunho acerca do Senhor: pelos ramos de oliveira confessaremos o Messias, o Ungido, já que é da oliveira que sai o azeite para a unção; e ao recebê-lo com as palmas da vitória, daremos testemunho de seu triunfo sobre a morte.




Dia 21 – Quinta-feira Santa – Última Ceia. - “EU SOU O PÃO DA VIDA!" A Última Ceia ocorreu na véspera da morte de Jesus. O Novo Testamento narra que Jesus pegou o pão em suas mãos, deu graças e disse aos Seus discípulos: "Este é o meu corpo que será entregue a vós".(Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele pegou o cálice em suas mãos, levantou ao alto e disse aos seus discípulos: "este é o meu sangue, o sangue da vida que será derramado por vós." (Cor 11, 23-25).
Temos consciência de que a Eucaristia que recebemos em comunhão significa o compromisso de todos os cristãos reunidos em comunidade e em volta da mesma Ceia do Senhor?
Quem sabe poderíamos assumir, na medida do possível, um compromisso de solidariedade e partilha com os que não têm pão, moradia, saúde, construindo, com eles, uma sociedade mais justa e fraterna, sinal da presença do reino de Deus entre nós?



Dia 22 – Sexta-feira Santa – Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo“UM SINAL DE AMOR DO PAI!”

O sofrimento maior que um homem pode sentir, o aniquilar-se física e moralmente, o abandono, a dor e toda espécie de tortura física foi o que Jesus passou em sua Paixão, vivida por amor a nós e para cumprir o plano do Pai. Dessa profunda humilhação, Jesus ressurge glorioso para novamente oferecer seu amor aos seus.

Na Paixão de Cristo dá-se sua entrega total à humanidade. Na pureza de seu amor, Jesus não poderia ferir a liberdade dos homens que preferiram eliminá-lo a aceitá-lo como Messias. Ele deixou-nos um convite: “Quem quiser ser meu discípulo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me!” (Mt 16,24). Assim, Cristo quis abraçá-la, livremente, para conferir-lhe o valor redentor, transformando-a em instrumento de salvação. Abraçar a cruz, com plena liberdade interna e carregá-la com amor, como fizeram Jesus e Maria, é seguir um caminho de santidade, porque é um caminho de amor, da alegria que brota da vivência da presença e do amor de Deus, como Pai cheio de Misericórdia.
Refletindo... Onde e quando, a cruz se faz mais presente em minha vida, como um sinal do amor do Pai? Estou consciente que minha cruz é uma parcela da cruz de Cristo e, por ela, estou inserida no grande mistério redentor?
Vamos aprofundar o sentido da quaresma, da cruz e do sofrimento, do silêncio e da oração. Aproveitemos cada cruz como meio apostólico oferecendo tudo como valiosas contribuições ao Capital de Graças para manter viva a chama de nossa Aliança de Amor!



Dia 24 de abril– Páscoa da Ressurreição! “VITÓRIA, TU REINARÁS, OH CRUZ TU NOS SALVARÁS!”


Páscoa! Festa da alegria, passagem da morte para a vida, para a Ressurreição!
JESUS ressuscitou! Aleluia! É o canto da alegria que ressoa na vigília pascal!
A Ressurreição de Jesus é uma realidade central de nossa fé e prova suprema de sua divindade. É a vitória do pecado sobre a morte, porque foi o triunfo do amor, que abriu as portas para o eterno céu, para a comunhão com Deus.

“Hoje, Jesus quer celebrar sua Ressurreição mais uma vez em mim. Hoje, Ele que celebrar em todos nós, sua Ressurreição. Não nos cansamos de seguir sempre o badalar dos sinos e de emprestar nossa boca às palavras da Igreja: Rainha do céu, alegrai-vos! Alegramo-nos com ela. Qual será o motivo mais profundo da alegria da Páscoa? Nosso coração dá a resposta: ELE RESSUSCITOU!" (Pe. Kentenich)



Quando a Páscoa se torna para mim a festa da alegria? Vive em mim a alegria pascal, na fé de ser a filha amada do Pai?




Caminhando em Aliança



Neste número do UNILAFS, abordaremos a segunda tarefa que a Aliança de Amor com a Mãe de Deus coloca diante de nós, ou seja: formar família!
A primeira tarefa, ou seja, ser família, foi abordada no número anterior do UNILAFS.
O formar família nacional e internacional, é gerar unidade em todos os níveis: familiar, eclesial e profissional. Queremos viver como verdadeiras filhas da aliança que formam elos na corrente dessa Aliança, uma nova cultura, sendo construtoras da paz, da verdade, da justiça e do amor.
A Aliança de Amor com nossa Mãe e Rainha em seu Santuário tem portanto, uma dimensão vertical e uma horizontal. Esta última – horizontal / formar família - é expressão e garantia da primeira – vertical/ser família – Porque se dissermos que amamos a Deus e Maria e não amarmos os nossos irmãos, enganamo-nos a nós mesmos (1Jo 4,20). Ao passo que, o verdadeiro amor aos nossos irmãos é o selo de autenticidade do amor a Maria e a Deus, a prova que vivemos a aliança e o caminho para pô-la em prática: Schoenstatt é família e quer formar família.


Para refletir:Qual e como é minha contribuição nas comunidades a que pertenço? Que mais eu poderia dar? Quais são os meus “defeitos comunitários”? Quais são meus “lados fortes” na comunidade? Sei trabalhar em equipe? Que experiência tenho a este respeito?




Nossos heróis de Schoenstatt



Irmã M. Emanuele Seyfried - No dia 1º de julho de 1932, ingressou no Instituto das Irmãs de Maria, em Schoenstatt. Irmã M. Emanuele conduziu a Família das Irmãs com bondade, sabedoria e firmeza. Seu objetivo era conduzir ao Pai e Fundador todos os que lhes foram confiados. Em junho de 1935 pisou pela primeira vez o solo brasileiro, estabelecendo-se em Jacarezinho, estado do Paraná. Encontrou as dificuldades do idioma, precárias condições de habitação e falta do mais necessário para sobreviver. Com admiráveis dotes pedagógicos e maternais, dedicou-se incansavelmente para introduzir no mundo de Schoenstatt a primeira geração de Irmãs de Maria de Schoenstatt brasileiras.
Quando buscavam o Ideal da Província Brasileira, foi ela quem sugeriu o nome: TABOR. O ideal foi assumido como ideal nacional pela Família de Schoenstatt, em 1984, como presente para o centenário de nascimento do Fundador, Pe. José Kentenich.
Sua alma cresceu à sombra da cruz, de um heroísmo filial, de uma entrega maternal sem reservas e de um profundo desprendimento de si mesma.
Nesta atitude, no dia 4 de março de 1973, foi chamada pelo Pai Celestial ao Schoenstatt eterno.
Seu Ideal Pessoal: "Filha e reflexo do Pai e da Mãe."


Irmã M. Teresinha Gobbo - Nasceu em Pejuçara (Cruz Alta/RS) e ali passou sua juventude. Nesse lugar recebeu a graça da vocação e doou-se a ela durante a Santa Missa celebrada pelo Padre Celestino Trevisan numa missão popular. Em Santa Maria, conheceu as Irmãs de Maria de Schoenstatt e optou por esta comunidade.
Em 1949, o Pe. José Kentenich depositou nela a sua esperança e confiança ao entregar-lhe pessoalmente a direção e responsabilidade pelo Movimento Apostólico de Schoenstatt no Brasil, tarefa que desempenhou durante 30 anos.
Em 1950, a Divina Providência usou Ir. M. Teresinha para dar início à Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt. Ao sair para rezar o terço com a Imagem da Mãe e Rainha em uma família encontrou-se com o Sr. Pozzobon e o convidou para ir junto. No final do terço, entregou-lhe a imagem com as palavras: "Cuide que Ela visite as famílias de casa em casa!" Estava iniciada a Campanha que atinge mais de 90 países!
Faleceu em 7 de março de 1988, em Santa Maria.
Seu Ideal Pessoal: Pelo Pai eu me consumo.


Max Brunner (1897 - 1917) - nasceu no sudoeste da região da Baviera e ingressou na casa de formação dos Padres Pallottinos, em Schoenstatt, no ano de 1911.
Em março de 1916, o jovem Max Brunner é realmente chamado para alistar-se como soldado na Primeira Guerra Mundial. Depois do seu tempo de formação como soldado, em novembro de 1916 - em Andernach, é enviado para a frente de batalha. Em 23 de abril de 1917, morre na luta, em Arras- França.
Dele é a expressão: "Ave, Imperatrix, morituri te salutant!" ("Salve, Imperatriz, os que estão prontos para morrer te saúdam!")


Padre Celestino André Trevisan - Filho de imigrantes italianos, nasceu na Colônia Silveira Martins/RS. Aos 16 anos decidiu sua vocação para o sacerdócio. Fez todos os seus estudos no Seminário da Imaculada Conceição em São Leopoldo, dirigido pelos Padres Jesuítas. Foi ordenado sacerdote na catedral de Santa Maria e aí começou a trabalhar em Missões Populares como sempre o desejou. Milhares de pessoas ouvem seus sermões, que despertam muitas vocações sacerdotais e religiosas.
Padre Celestino colabora com o início da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt, benzendo a imagem com qual o Diác. Pozzobon vai peregrinar durante 35 anos.
Em 1966, Padre Celestino, apesar de contar com mais de 60 anos, toma a decisão mais importante de sua vida: faz a sua opção pelo Instituto dos Padres de Schoenstatt, apenas recém fundado (1965) e parte para Jaraguá/SP, onde os Padres começavam a se instalar.
Em 1981, inicia o ocaso de sua vida. Sua enfermidade vai dominando Padre Celestino, porém, não perde o espírito missionário e o ardor de seu amor o faz pronunciar: "Gostaria de poder, ainda depois de minha morte, pregar o nome de Maria."
No dia 11 de março de 1983, vai ao encontro definitivo daquela que ensinou tantos a amar. É ele agora, o peregrino acolhido no Santuário do céu. É sepultado em Mairiporã, junto aos que serviu nos últimos anos, e mais tarde é transladado para o Santuário do Jaraguá.
Seu Ideal Pessoal: "Filho e esposo fiel da Mãe e do Pai."



Datas especiais em Schoenstatt


02.02A Visão da Candelária foi um momento de luz que invadiu, de modo singular o coração do Pe. José Kentenich, num momento crucial de sua vida. Na prisão de Coblença ele teve a intuição que seria libertado de Dachau e que Schoenstatt seria um dia reconhecido pela Igreja.

18.02Dia da Aliança de Amor – “Provai primeiro que realmente me amais e tomais a sério os vossos propósitos”.

11.03.42Pe. Kentenich parte num trem de carga da prisão de Coblença para o Campo de Concentração.

18.03.47 - Pe. Kentenich chega pela primeira vez no Brasil - em Santa Maria/RS.

18.03Dia da Aliança de Amor – Com vosso Divino Filho, abençoai-nos, ó Virgem Maria!

19.03Onomástico de nosso Fundador, Pe. José Kentenich.

14.03.47Audiência particular do Pe. Kentenich com o Papa Pio XII.

06.04.45Libertação do Pe. Kentenich do Campo de Concentração.

11.04.48Inauguração do primeiro Santuário de Schoenstatt no Brasil – Santa Maria/RS.

12.04.1894Consagração do Fundador à Mãe de Deus aos 9 anos de idade.

18.04Dia da Aliança de Amor -“A Aliança de Amor com a Santíssima Virgem conduz-nos à Aliança de Amor com Cristo, com o Pai e com o Espírito Santo”.



Lembretes importantes do calendário 2011!


Agende, esperamos por você!



• Nosso encontro anual do Carnaval se aproxima! Nesse ano será nos dias 5, 6 e 7 de março em Atibaia!
• O segundo FÓRUM DA MULHER será no dia 14 de maio e no dia seguinte convidamos para permanecer conosco as Liguistas iniciantes e jovens interessadas na LAFS! Esse Fórum foi um marco para todas as mulheres que vieram, vamos fazer parte dessa equipe!
• Nos dias 22 e 24 de julho celebraremos os 40 anos do 1º Encontro da LAFS com um encontro inter-regional, que dessa vez será em Londrina! Onde nosso Pai e Fundador esteve!

MAIS NOTÍCIAS